O Município

Dados do município.

Dados do município/localização

Fundação: 20/12/1963
Emancipação Política: DIA 20 DE DEZEMBRO
Gentílico: CEDRENSE
Unidade Federatíva: PERNAMBUCO
Mesoregião: SERTÃO PERNAMBUCAN
Microregião: SALGUEIRO
Distância para a capital: 569,00

Dados de características geográficas

Área: 148,00
População estimada: 11965
Densidade: 72,00
Altitude: 546
Clima: SEMIÁRIDO
Fuso Horário: UTC-3
Inicialmente apenas uma fazenda, Cedro passou a distrito do município de Serrita e, finalmente, foi emancipado politicamente do município de Serrita em 20 de dezembro de 1963. O novo município teve como patrono o coronel Francisco Filgueira Sampaio (Chico Romão) e, como primeiro prefeito, Gumercindo da Silva Bem.

O fundador, Manoel Joaquim Leite, nasceu em 1870 e faleceu em 2 de junho de 1929, com apenas 59 anos de idade. Era filho de Joaquim Inácio Leite e de Joaquina Jacinta de Vasconcelos. Foi professor, agrimensor, agricultor e vereador pelo município de Serrita.

Sua residência servia de abrigo para tropeiros, romeiros e viajantes que se dirigiam ao Ceará, principalmente a Juazeiro do Norte. Na casa também funcionava uma escola, onde ele mesmo ensinava. Além disso, antes de ser construída a primeira capela, ali eram celebradas missas. Isso voltou a ocorrer quando a primeira primeira capela foi demolida, até que segunda fosse construída.

O casarão era ladeado por uma bolandeira (descaroçadeira de algodão), ao norte, e por uma casa de farinha, ao sul - ambas de propriedade de Manoel Joaquim Leite. Também era de sua propriedade um engenho de cana que ficava localizado nas proximidades da atual Rua do Engenho Velho, daí o nome. Manoel Joaquim fez construir a primeira capela, que foi consagrada pelo Padre Sizenando, em 1913, e um cemitério, em 1916. Casou-se três vezes.
Durante o século XIX, o local onde hoje se encontra o município era uma região de caatinga. Aos poucos, a região foi sendo ocupada pela expansão da pecuária. Propriedades se espalhavam por todo o sertão nordestino. Nessa época chegaram as famílias Leite e Inácio. Os Inácios eram oriundos de Serra Talhada e os Leite vinham do vizinho Estado da Paraíba.

A propriedade que deu origem ao povoado de Cedro pertencia a Joaquim Inácio Leite, pai de Manoel Joaquim Leite. Era uma típica fazenda do sertão: havia o canavial, a casa de farinha, o curral de gado e o engenho, localizado onde hoje é a rua do Engenho Velho. A fazenda logo se tornou um ponto de parada dos viajantes que vinham de Cabrobó para comercializar em Jardim e no Crato. Em 1913 Manoel Joaquim Leite construiu a primeira capela da cidade, nas proximidades da atual Igreja da Matriz.

Francisco de Assis Leite, conhecido como Chico Leite, seguiu os passos de seu pai, Manoel Joaquim Leite, que fora político e vereador. Chico Leite tornou-se um dos mais importantes personagem da história da cidade. Assim como o pai, que construíra a primeira capela, Francisco Leite também fez edificar uma capela na pequena vila, no local onde hoje está a praça da Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ele foi também o responsável pela construção do primeiro prédio da Igreja Matriz.

No início, havia apenas quatro edificações na pequena vila:

A capela, onde hoje se encontra a Igreja Matriz;
A casa de Manoel Joaquim Leite, onde hoje se encontra a casa de Mário Leite (filho de Manoel Joaquim Leite);
Um engenho, onde hoje se encontra a Rua do Engenho Velho;
A casa de Francisco Leite, onde hoje se encontra o Supermercado de Marielton.

Sem informações até o momento

Sem informações até o momento

Sem informações até o momento

LOGOMARCA OFICIAL DA GESTÃO


HINO DO CEDRO


Compositor: Osmar Mariano

Cedro terra da esperança
Assim tu sempre vais ser,
Tua nação lhe transmite
Força para nunca perecer,
Queremos teu crescimento
Nunca teu retroceder.

Reaviva com esplendor
Teu espírito juvenil,
Pernambuco te reverencia
És orgulho do Brasil.

És a capital do milho
Também planta carinho e amor,
Rico em artes e cultura
Forte como o que te originou,
Teu povo miscigenado e místico
Exportando teu valor.

“Quando vejo em ti o sol nascer
Cedro meu berço sagrado”,
Já dizia o autor
Que nesta terra foi criado
“Sinto o coração bater
Pernambuco Cedro amado”.

Tua bandeira é nosso manto
Nossa luta tua proteção,
Sua hospitalidade
Acolhendo todo cidadão
A ti saudamos eternamente
Nossa terra nosso chão.


Reaviva com esplendor
Teu espírito juvenil,
Pernambuco te reverencia
És orgulho do Brasil.

BRASÃO OFICIAL


BANDEIRA DO CEDRO


Qual o seu nível de satisfação com essa página?


Muito insatisfeito

Um pouco insatisfeito

Neutro

Um pouco satisfeito

Muito satisfeito